Blog

Mudanças no mundo corporativo: o processo de entrevista

Até que o importante momento da entrevista ocorra, você deve estar muito bem preparado. Lembre-se de que uma entrevista não significa que conseguiu o emprego, mas que, em sua trajetória de transição, você chegou muito próximo de seu objetivo. É importante ter autoconfiança, porém não permita que o sentimento de “já ganhou” lhe suba à cabeça.

Como já mencionei, você precisa avaliar o ambiente da entrevista. É importante saber que a pessoa que possui a decisão de contratá-lo, ou não, também está ansiosa. 

 

Receios do entrevistador

 

Para ela, a entrevista de seleção não é uma maneira infalível de contratar um profissional. Muitos profissionais experientes de recursos humanos incorrem também no erro de fazer escolhas equivocadas para suas empresas por meio da entrevista de seleção. Com tantas entrevistas ao longo da carreira, conseguem apenas esconder os receios melhor do que você, pela experiência que desenvolveram. O principal receio é não conseguirem detectar, na entrevista, os problemas que você poderá causar à empresa, se for contratado.

Se você chegou à entrevista é porque estudou muito bem a empresa, conhece suas competências mais relevantes e as ameaças do mercado em que está inserida. Por melhor que tenha sido esse estudo, as informações de que dispõe nunca serão suficientes para lhe dar certeza de que essa empresa é a mais adequada a seu perfil, muito próxima da empresa ideal que você desenhou anteriormente. Portanto, seu papel neste encontro não é convencer seu interlocutor a contratá-lo. 

 

Conduta adequada para entrevista

 

Eu sei que você está ansioso pelo emprego, porém esse momento é importante para sua carreira, e você deve ter calma e serenidade para avaliar o cenário todo. 

Use o encontro como uma chance de reunir informações mais aprofundadas a respeito da empresa, cultura e do perfil de gestor que eles valorizam, o clima organizacional etc. 

 

Você não é o único sendo avaliado durante a entrevista!

Você está sob julgamento, é bem verdade, porém neste momento o avaliador e a empresa também estarão sob o seu julgamento. É importante que você faça uma avaliação da empresa e do próprio avaliador para ter em mente um quadro muito mais claro. 

Se não o fizer nesse momento, acabará fazendo após a contratação, já trabalhando na empresa. Você poderá perceber que está muito distante do que desenhou para sua carreira e se ver obrigado a deixar a empresa após alguns meses, o que seria um perigo para sua autoestima e trajetória profissional, como já falamos. 

Nesses casos, há uma sensação de derrota, de trabalho malfeito com graves consequências, como ser visto no futuro como alguém instável, e de retorno à busca de um emprego, ponto em que não gostaria de estar mais.

 O processo de transição na carreira de um profissional pode ocorrer de cinco a oito vezes ao longo da vida profissional, porém o importante para você é que essas transições ocorram de forma planejada, com muita preparação e estratégia, e não seja por um mero acaso.

 

Mantenha uma postura positiva e colaborativa

Voltemos à entrevista. A primeira coisa a fazer é manter uma postura positiva e colaborativa. Mais do que simplesmente fazer perguntas que respondam a suas necessidades e seus interesses, procure saber quais são as necessidades da empresa que você pode atender. 

Significa dizer que você está ali para demonstrar seu interesse em como colaborar, com suas competências, para os objetivos daquela organização. 

Essa é uma postura raramente vista em processos de entrevistas, e o que se encontra no dia a dia são perguntas do tipo “Como a empresa vai investir na minha carreira?”, “Qual o plano de crescimento oferecido para o cargo, caso venha a ser contratado?”, “Qual a remuneração oferecida?” e assim por diante.

Todas essas perguntas têm o foco no que a empresa pode fazer por você, porém você está sendo avaliado justamente para saberem o que você pode fazer por ela. 

Não quero dizer aqui que essas questões sejam irrelevantes, de forma nenhuma, e deverão ser respondidas a seu tempo, porém a entrevista é o momento inadequado para fazê-las. 

 

Mantenha o foco em questões sobre seu desempenho caso venha a assumir o cargo

Mude o foco para questões como “Quais os principais desafios desta posição?”, “Quais as principais competências que a pessoa que ocupá-lo deve possuir?”, “O que se espera que esse profissional faça pelo desenvolvimento de seus subordinados?”, “Quais as metas e os objetivos desse cargo?”. 

Bem, você poderia incluir uma infindável lista de perguntas nesse foco. Não se preocupe em decorar todas as respostas, pois esse não é o ponto. No próximo blog, iremos nos concentrar nas questões específicas que seu entrevistador está procurando nesse momento.

 

Autor: Sami Boulos Filho

Continua no próximo artigo da série: “Mudanças no mundo corporativo”.