Blog

Mudanças no mundo corporativo: o desenvolvimento de um currículo

Entenda que um currículo não tem o objetivo de contar sua vida profissional. Ele é uma peça de marketing e, como tal, tem a função de atrair a atenção de quem está contratando – seja este um Headhunter ou um gestor de Recursos Humanos.

 

Como os currículos devem ser elaborados?

 

Fazendo uma analogia, as organizações de sucesso investem tempo e energia no desenvolvimento de seus catálogos ou brochuras, de forma a que estes apresentem ao mercado suas competências essenciais (aquelas que traduzem o conjunto de conhecimentos, habilidades e comportamentos que impactam nos resultados organizacionais). 

Essas competências têm valor percebido pelos clientes, os diferencia dos concorrentes, são difíceis de imitar e aumentam a capacidade de expansão.

Dentro deste conceito, é fundamental que você também invista tempo e energia para desenvolver uma das principais ferramentas de marketing que possui para a sua transição de carreira – o seu currículo. 

Porém, ele é um complemento do seu programa de contatos pessoais (networking), e jamais o substituirá.

 

Como avaliar a qualidade de um currículo?

 

Quando um profissional me encaminha seu currículo e pede para que eu o avalie, normalmente só é passível de avaliação o seu formato, ou seja, a disposição das informações nele contidas. 

Digo para a pessoa que é impossível avaliar se o conteúdo reflete exatamente suas maiores competências e se ali estão descritas suas melhores histórias de sucesso, que comprovam tais competências. 

O currículo, portanto, deveria refletir as suas principais competências descritas através de suas histórias de sucesso que foram alcançadas em sua trajetória profissional

 

Qual a melhor disposição de informações para um currículo?

 

Logo nas primeiras linhas o selecionador já deveria encontrar os motivos que o levariam a convidá-lo para uma entrevista. Veja, é uma peça de marketing para atrair a atenção.

Portanto, dedique tempo e energia para preparar um currículo que realmente descreva suas principais competências, traduzidas no que você pode vir a fazer numa organização.

 

Não distribua currículos como folders de propaganda!

 

Muitos acreditam que quanto maior o número de currículos distribuído no mercado maiores as chances de se obter uma nova oportunidade de emprego, mas isso não é verdade atualmente. 

Faça a você mesmo as seguintes perguntas: quantos currículos recebia por semana, enquanto empregado? Qual o destino que dava a esses currículos?

Arrisco a responder que, na maioria das vezes, eles eram descartados – seja para o lixo, seja encaminhando-os para o departamento de Recursos Humanos da organização em que trabalhava. 

Você não mantinha uma pasta A-Z com todos os currículos recebidos devidamente arquivados, mantinha? Pois então, não encaminhe seu currículo aleatoriamente. Ele provavelmente receberá o mesmo tratamento.

 

Não envie seu currículo para algum amigo sem que ele mesmo peça

 

A cena, geralmente, é a seguinte: o profissional liga para um amigo, diz que está em busca de uma nova colocação e pergunta a ele se sabe de alguma oportunidade na empresa em que trabalha. 

Aqui, em primeiro lugar, você deixou seu amigo numa situação extremamente desconfortável, caso este não identifique de imediato tal oportunidade. Afinal vocês são amigos e ele não tem como lhe ajudar nessa solicitação. 

O que ele faz, então? Normalmente lhe responde constrangido dizendo: olha, não conheço nenhuma vaga por aqui, mas de qualquer forma, me encaminhe seu currículo que eu vou endereçá-lo internamente.

Ao final o que temos? Você volta para casa certo de que fez uma ação concreta de exposição no mercado, por acreditar que seu amigo irá dar o devido encaminhamento ao seu currículo, mas por outro lado, ao receber este, seu amigo o irá descartar, seja para o lixo ou enviando para o departamento de Recursos Humanos, afinal ele não precisa de seu currículo para fazer sua indicação. 

Isso tudo sem falar que você está transferindo a atividade de busca por uma nova posição para o seu amigo, o que seria errado. Essa é uma atividade exclusivamente sua e não pode ser delegada a terceiros.

Você não quer que seu currículo seja tratado desta forma, quer? Então, siga este conselho, jamais envie seu currículo para algum amigo. Ele deve ser tratado de outra forma, muito mais adequada e profissional.

 

Autor: Sami Boulos

Continua no próximo artigo da série: “Mudanças no mundo corporativo”.