Blog

Mudanças no mundo corporativo: a pergunta sobre salário no processo de entrevista

No blog anterior vimos um conjunto de perguntas que é feito pelo entrevistador durante a entrevista – mas e a sobre o salário?

Normalmente, ao final desta, o entrevistador vai lhe perguntar qual sua pretensão salarial, seu pacote de remuneração, caso venha a ser contratado.

Como dissemos, esse não é o momento de discutir o assunto. Qualquer que seja sua proposta, ela servirá como item eliminatório, ou seja, o entrevistador terá essa informação apenas como item que pode eliminá-lo do processo, caso não tenha condições de atender à sua exigência.

 

O que fazer nessa situação? Falar quanto quer de salário?

 

Você deve deixar o assunto para o momento em que já tenha sido escolhido entre os demais candidatos, quando a empresa estará disposta a negociar o pacote, numa tentativa de trazê-lo. 

Os headhunters, quando contratados, recebem seus honorários calculados em bases a um valor de salário da vaga estipulado no momento da contratação dos seus serviços. 

Quando o processo é concluído e o candidato finalista é aprovado, normalmente, o salário fechado pela empresa supera o acordado no início do processo. 

Isso acontece porque os headhunters indicam para avaliações tanto profissionais que atendem à demanda da vaga, como alguns que a superam substancialmente. 

São exatamente esses profissionais que se tornam os finalistas, o que faz as empresas negociarem o salário até um limite aceitável, que o será no momento final do processo, não no início, pois já identificaram os benefícios da contratação daquele profissional para a organização e não querem perdê-lo. É nesse ponto que a empresa já decidiu que precisam de você e fará o necessário para tê-lo no quadro. 

 

A empresa estipula um limite de remuneração?

 

Obviamente a empresa, mesmo com essa certeza, terá suas limitações quanto ao pacote de remuneração. A maioria trabalha com uma faixa salarial, que inclui demais benefícios e, muitas vezes, bônus por resultados. 

Não tome por base seu último salário, pois este era resultado da relação com a empresa anterior e nada tem em comum com os novos desafios que esta empresa pode lhe oferecer, o que resultará, portanto, num novo pacote. 

Não se baseie nos dados do passado; você precisa conhecer a faixa salarial do cargo praticada na empresa ou em empresas similares. 

 

Como saber qual salário é adequado para sua função?

 

Para tanto, faça uma pesquisa. O ideal é ter um contato nessa empresa que possa informá-lo sobre o sistema de remuneração, bem como sobre o clima organizacional, a situação interna da empresa etc. 

Bem, às vezes não é possível acessar um funcionário da empresa, então a alternativa é procurar essas informações em empresas similares, por meio de contatos. 

Para se manterem competitivas no mercado, as empresas fazem pesquisas regulares de salário e equiparam o custo da folha de pagamento aos limites aplicados pela maioria de seus concorrentes.

 

Consultorias em recursos humanos podem ajudar!

 

Uma alternativa são as consultorias em recursos humanos, ou que atuem nessa área, como a Deloitte, que estuda regularmente os salários e os fornece para empresas-cliente. 

Esse estudo é segmentado por tamanho da empresa, setor de atuação, região do país e níveis hierárquicos. A empresa não fornece essa informação a profissionais, porém você pode obter essas informações por meio de um contato de uma empresa-cliente que utilize o relatório. 

Alguns jornais também fazem pesquisas similares, porém os dados são mais genéricos. O salário de um gerente de vendas divulgado nesse jornal, por exemplo, não possui necessariamente as mesmas características do cargo que você está pretendendo. É apenas um bom indicador. 

Por fim, você pode recorrer, por meio de um contato, a consultorias em outplacement, como a Trilha Carreira (que possuem programas de transição de carreira), que utilizam dados como descrições de cargos, remuneração e benefícios. De forma geral, você teria acesso direto apenas às informações nos jornais. Para ter acesso às outras fontes, você terá de recorrer a um contato de sua rede de relacionamentos que tenha acesso direto a ela.

No próximo blog falaremos da negociação salarial, com base nas pesquisas que realizou. Até lá!

 

Autor: Sami Boulos Filho

Continua no próximo artigo da série: “Mudanças no mundo corporativo”.