Blog

Estilos de Liderança e o futuro do trabalho

estilos de liderança

Ao falar sobre o futuro do trabalho, precisamos falar sobre estilos de liderança.

Este é um tema essencial para entender como a revolução tecnológica das empresas e a importância da autogestão de carreira, está intrinsecamente interligada com os estilos de liderança.

Contudo, vale a pena entender o que é liderança. Entende-se por liderança o ato ou a habilidade de liderar, dirigir, conduzir e orientar.

Um líder além de agir dentro desta perspectiva, deve ainda inspirar confiança nas pessoas, de modo que elas se sintam estimuladas e influenciadas a alcançarem os desafios e as metas propostas.

Esta influência pode ser imposta por uma posição hierárquica de um cargo, ou natural, ou seja, inerente a posição que a pessoa ocupa dentro de uma organização.

 

Quais são os estilos de liderança e seus impactos?

De fato, em um cenário onde o mundo passa por constantes e aceleradas mudanças a função da liderança hoje tem um papel muito diferente do que décadas passadas. 

Enquanto que antigamente um bom líder poderia ser visto como aquele que sabia distribuir com agilidade às tarefas para conquista dos objetivos, agora um líder deve saber identificar cada indivíduo como parte da solução para se alcançar resultados satisfatórios.

Por outro lado, o líder deve ser capaz de integrar e interagir com as diferentes funções de um negócio, como também o trabalho em equipe é fundamental para obtenção de bons resultados em qualquer tipo de organização.

Uma liderança perspicaz, mantém o foco em desenvolver um fluxo de trabalho harmonioso onde é estimulado entre as pessoas a comunicação e o bom relacionamento entre elas, gerando assim uma maior rapidez, engajamento e eficiência no ambiente corporativo.

Para alta performance do trabalho em equipe é essencial que a liderança estabeleça clareza nas metas ou objetivos a serem alcançados, colocando em ação a comunicação eficiente e agilidade na delegação de tarefas.

Principais estilos de liderança

Os estilos de liderança são determinados pela forma como um líder pensa, sente, age,  gerencia processos, pessoas, como pode limitar ou potencializar os resultados da sua equipe/empresa.

Entre os principais estilos de liderança destacam-se:

  • Autocrática – o líder é o centro de todas as atenções e decisões, centraliza o poder em si e quase não há participação dos liderados.
  • Democrática – o líder tem o foco na equipe e o bem-estar coletivo, inclui os liderados na sua tomada de decisão, desenvolve seus profissionais e oferece-lhes reais oportunidades de crescimento
  • Liberal – estimula a autonomia. Neste formato o líder não é necessário, uma vez que entende-se que os profissionais sejam maduros e qualificados, capazes o suficiente para gerenciar o seu próprio trabalho sem a supervisão direta de alguém.
  • Situacional – foco nas situações e no nível de maturidade dos profissionais. O perfil do líder é daquele que consegue se ajustar com mais rapidez, agilidade, estratégia, inteligência e assertividade conforme cada demanda específica. Domínio de adequação no ajuste de comunicação com um colaborador mais experiente ou não. O líder situacional precisa desenvolver várias habilidade e formas de liderar, assumindo diferentes papéis.
  • Coach – foco nas pessoas e nos resultados. O papel do líder é identificar, treinar e desenvolver uma equipe de profissionais em alinhamento com suas competências fazendo com que o potencial deles seja infinito para alcançar os resultados da organização.
  • Servidora – focada no fundamento da empatia. Líderes desse estilo estão orientados para atender os objetivos e demandas da equipe.

Cultura organizacional 

Em primeiro lugar, a cultura organizacional é um conceito da administração contemporânea e tem relação direta com a missão, visão, valores, ambiente, identidade, normas e os comportamentos esperados dentro de uma ambiente corporativo

Entretanto, o objetivo da cultura organizacional é assistir a gestão de recursos humanos no processo de direcionar as relações internas, permitindo que os colaboradores trilhem uma trajetória em comum.

Em suma, quanto mais forte for a cultura organizacional de uma empresa, mais bem-sucedida ela ela é considerada, tendo em vista que conseguem desenvolver e implementar suas estratégias com mais eficiência.

Como resultado, estudos definem que a cultura organizacional pode ser dividida como:

  1. Cultura orientada para o poder – foca na competitividade empresarial e em sua posição no mercado de trabalho. 
  2. Cultura orientada para padrões – busca a estabilidade e a segurança da empresa em primeiro lugar, observando-se o estrito cumprimento das normas e regulamentos internos e sanções são aplicadas para quem as viola. Os colaboradores são orientados a cumprirem processos, protocolos, procedimentos para garantir o correto funcionamento das funções e responsabilidades.
  3. Cultura orientada para resultados – foco na eficiência e otimização dos processos. Prioriza metas de curto prazo, incentiva a economia de recursos  materiais e humanos.
  4. Cultura orientada para pessoas – é uma cultura onde o foco está voltado para o desenvolvimento pessoal e profissional de cada pessoa. Valoriza os valores sociais, estimula a motivação e a criatividade. Apresenta um ambiente inclusivo, busca a satisfação dos colaboradores e clientes. Consideram seus colaboradores como os principais representantes da sua marca.

Com o fim de ter uma cultura organizacional claramente definida garante na prática os seguintes resultados:

  • Proporciona estabilidade e segurança nas interações da empresa, seja com clientes, colaboradores ou parceiros.
  • Maximiza os processos internos, ajudando a solucionar problemas que surgem durante a execução das atividades.
  • Garante a definição e o entendimento da missão e estratégias de trabalho.
  • Ajuda a estabelecer metas internas e externas, além de encontrar os meios para alcançá-las.
  • Adaptação junto ao contexto social atual.
  • Clareza sobre o processo de tomada de decisão, compreendendo o que faz o não sentido para a empresa.

 

Estilos de Liderança e tomada de decisões

Primeiramente, o processo de tomada de decisões dentro de um contexto de liderança implica em uma capacidade constante de analisar o negócio, diagnosticando os desvios e identificando soluções efetivas.

Por isso é importante a capacidade de discernimento como essência na capacidade da liderança.

Em suma, os estilos de liderança relacionados ao processo de decisão levam em consideração o estilo pessoal, entre eles destacam-se:

  1. Diretivo – foco nos resultados, com rápida ação, pouca análise de informação e alternativas.
  2. Analítico – efetuada através de uma análise detalhada com grande quantidade de informação e respectivas soluções, originando vários resultados que podem dificultar a decisão final.
  3. Conceitual – visão profunda dos problemas com muita informação originada de fontes diversas e criatividade.
  4. Comportamental – envolve pouca informação, é orientada por processos intuitivos, colocando o enfoque na aceitação da decisão dos outros, o que pode gerar erros.

Mesmo que existam objetivos e metas claramente definidos o processo decisório nem sempre é algo simples de ser realizado.

Mas ainda assim é o papel do líder gerir e tomar as decisões certas no momento oportuno.

 

Gestão e desenvolvimento da liderança

Certamente, os líderes são o ponto de grande importância dentro das organizações, uma vez que são a peça chave para o bom desenvolvimento das estratégias.

Em outras palavras, essa é a importância de desenvolver as as habilidades e competências da liderança.

A princípio, as habilidades e competências de um líder de sucesso envolvem:

  • Buscar novos conhecimentos
  • Inspirar confiança entre a equipe
  • Saber ouvir
  • Aplicar feedbacks efetivos
  • Comunicação de qualidade
  • Pensamento de longo prazo
  • Ter bons relacionamentos
  • Estar comprometido com o seu próprio desenvolvimento 
  • Foco na melhoria contínua do ambiente de trabalho e processo
  • Visão orientada a estratégia e resultados

Uma estratégia empresarial inteligente envolve o planejamento dos seguintes planos:

  • Plano de Sucessão – preparação estratégica de um substituto para as posições de lideranças da empresa.
  • Gestão de Risco – consiste em efetuar um planejamento cujo objetivo é maximizar a exposição aos eventos positivos e minimizar a exposição aos eventos negativos, assegurando a integridade das informações no processo de tomada de decisão.

 

Liderança nata e liderança aprendida

É comum pensar que um líder possui características natas de inspirar, influenciar, motivar e engajar pessoas quando o assunto é a conquista de resultados.

Entretanto, é preciso ter  talento ao lidar com as pessoas, alta capacidade de comunicação e relacionamento interpessoal.

De fato, esta é a importância de todo líder observar e colocar em prática um plano de ação para o constante desenvolvimento das suas habilidades e capacidades de liderança.

Por fim, se você gostou desse artigo e está pensando como colocar em prática um plano de ação entender seus estilos de liderança para a impulsionar sua carreira como líder?

A Trilha Carreira Interativa através de uma metodologia exclusiva de coaching pode te ajudar nesse processo de desenvolvimento de liderança. Entre em contato com a gente e saiba mais sobre nosso programa de assessment e matriz de competências.

Siga a Trilha pelas Redes Sociais!