Blog

Mudanças no mundo corporativo: acesso aos Headhunters e o networking

Sim, é difícil acessar os Headhunters, porém vale aqui uma dica, entenda que sua relação com esses profissionais não deve se limitar a contatos apenas quando estiver em transição, mas sim construída ao longo da sua carreira

Vamos aqui entender como é o processo de busca por profissionais conduzido por esses consultores. 

 

Por onde o headhunter inicia sua busca por profissionais?

 

Quando o Headhunter inicia a busca pelo profissional ele o faz com aqueles os quais já conhece e teve a oportunidade de avaliar noutros processos, ou mesmo nos contatos de cortesia. 

Esses contatos também servirão para proverem indicações de outros profissionais. 

Além dessas ações, o Headhunter irá pesquisar em sua base de currículos, além de outras disponíveis no mercado. 

Mesmo que não seja solicitado a buscar alguém especificamente do concorrente de seu cliente, ele fará a pesquisa, o que denominamos hunting.

Para encontrar essas consultorias em seleção de profissionais, grandes empresas em outplacement, como a Trilha Carreira Interativa, divulgam a lista dos principais Headhunters, da região que atuam, em seus sites (algo em torno de 100 consultorias em seleção de profissionais na cidade de São Paulo, ou 30 na cidade do Rio de Janeiro, por exemplo). 

 

Como interagir com headhunter?

Aqueles Headhunters que você já conhece – seja por ter passado por processos de entrevistas anteriores ou mesmo que tenham lhe procurado para que lhes fornecessem indicações de outros profissionais -, você deve ligar e agendar uma visita de cortesia e nela expor seus planos de transição. 

Seja muito claro e objetivo nesse encontro e não esconda que está nesse processo, afinal, sua relação com ele só existe para o possível preenchimento de vagas que esteja trabalhando. 

Isso também não tomará tanto tempo do consultor e ele lhe agradecerá por isso. 

Para os demais Headhunters, você deve antes pesquisar em seus sites se atuam no seu mercado-alvo. 

Caso não atuem, não os descarte, apenas não serão prioritários no momento. 

 

Por onde começar?

Comece inserindo seus dados profissionais e sua experiência nos sites dessas consultorias. A grande maioria utiliza sistemas de banco de dados cuja inserção de dados se dá através dos sites e não por e-mail com seu currículo anexo.  

Sempre que possível, inclua uma carta de apresentação dizendo que você gostaria que seu currículo fizesse parte do banco de dados, com um breve resumo de suas qualificações. 

Como dito anteriormente, não espere que ele atenda a uma ligação sua, de follow-up, só pelo fato de ter enviado seu currículo. 

No máximo, receberá um e-mail ou carta agradecendo o envio (automáticos).

 

Para quem os headhunters trabalham?

 

Essas empresas trabalham para as empresas-cliente, nunca para os candidatos

Cuidado com aquelas que dizem trabalhar para as empresas-cliente, mas que você deverá remunerá-las também, sob o pretexto de que irão aplicar testes de avaliação ou outro serviço.

As consultorias sérias jamais cobram qualquer valor dos candidatos e são remuneradas apenas pelas empresas-cliente em todas as fases do processo seletivo

 

Qual é o principal objetivo dos headhunters?

 

No final das contas, o objetivo do Headhunter é encontrar o melhor candidato para seu cliente porém, avaliar se o que ele tem para lhe oferecer é a melhor oportunidade para você, isso é unicamente de sua responsabilidade. 

Se algum Headhunter te ligar logo após essa ação é porque existe uma posição que está trabalhando, onde suas qualificações apontam uma possível adequação e ele irá querer lhe conhecer. Você está num processo seletivo.

 

Como funciona o processo de busca a uma nova oportunidade?

 

Evidente que é na rede de relacionamentos que encontramos a maioria das oportunidades de trabalho

Então, é aqui que você deve colocar seu maior esforço e energia quando estiver conduzindo sua transição de carreira. Até porque, a imensa maioria dos profissionais conduz seus processos de transição de uma forma muito limitada.

Entendendo esse processo de busca, a primeira ação que um profissional executa é procurar as oportunidades nos jornais e revistas. 

Ali o volume é muito insignificante, diante do total que existe disponível.

 

Entenda o que fazer para encontrar as melhores oportunidades!

Como nesta fase o profissional não possui a visão do todo, credita essa falta de anúncios de emprego à eterna recessão em que vive o país (?!) e responsabiliza os governos pela falta de oportunidades no mercado de trabalho.

Então, aconselhado por amigos, sua segunda ação é começar a pesquisar no LinkedIn as oportunidades – seja incluindo seu currículo nos sites das empresas, nos de alguns Headhunters como já orientamos aqui, seja aleatoriamente. 

Basicamente, é tudo que o profissional despreparado consegue fazer, além de aguardar pelo telefonema que poderia surgir dessas iniciativas.

Veja que o profissional está concentrando toda a sua energia em atividades que potencialmente possuem menos oportunidades de emprego que em sua rede de relacionamentos

Está muito longe de acessar o maior volume disponível de oportunidades, pois é na rede de relacionamentos, como dissemos, que este se encontra. E como acessá-la? 

Através do networking. Para começar a desfrutar dos benefícios que uma rede traz a você, inicie esta com a construção de uma lista de contatos.

 

Qual a importância de investir tempo e qualidade na lista de networking?

 

Em meus contatos profissionais, nessa fase, vejo que os executivos, até presidentes de empresas, têm dificuldades para criar uma lista com 30 ou 35 nomes, pelo menos, de pessoas que o conhecem e sabem exatamente quais são suas principais competências. 

E esses nomes são contatos, na sua maioria, resultados da função que mantinha no emprego anterior. 

Isso demonstra que o profissional não tem dado a devida importância à construção e manutenção de sua rede de relacionamentos, ao que chamamos de networking

Você só se dará conta da sua importância, num momento em que decidir fazer uma transição, seja por iniciativa própria ou mesmo por iniciativa da empresa que trabalha.

Portanto, é fundamental que mantenha uma rede ativa, de pessoas que realmente conhecem o que você faz e tem acompanhado sua trajetória ao longo da carreira. 

Apesar de simples, essa atividade de construção de uma rede de relacionamentos requer muita dedicação e energia e, no próximo blog, gostaria de lhe dar algumas sugestões de como fazê-lo.

 

Autor: Sami Boulos

Continua no próximo artigo da série: “Mudanças no mundo corporativo”.