Blog

A nova economia: tendências de empreendedorismo e novos modelos de trabalho para 2022

O empreendedorismo se tornou a única opção para milhares de brasileiros que se viram desempregados nos últimos tempos, além de ser um sonho para outras milhares de pessoas. 

Por esses e outros motivos, empreender nunca esteve tão em alta. O que nos leva a refletir quais são as tendências para o empreendedorismo para 2022. Após tantas mudanças no mercado durante a pandemia da Covid-19, o que esperar para os próximos meses?

Para entendermos os próximos passos, precisamos compreender o contexto econômico em que estamos vivendo. Atualmente, o que muitos não sabem, é que estamos vivenciando a chamada nova economia.

Essa é uma expressão utilizada para descrever a mudança de um modelo de trabalho para outro, assim como os impactos disso, na sociedade e no âmbito econômico. 

Impactos esses que refletem em diversos aspectos no mundo empresarial, como na área de investimentos, modo de funcionamento, tecnologias empregadas, no setor de Recursos Humanos e muito mais.

Sendo assim, para quem quer – ou precisa – empreender, é importante analisar o que é a nova economia e qual o reflexo disso. Assim, será possível entender a sua influência nas tendências de empreendedorismo para 2022.

Acompanhe!

A nova economia: o que é? Como afeta o empreendedorismo?

Após 4 ciclos de Revoluções Industriais, hoje, o Brasil vive sua primeira nova economia, uma fase que se dá por empresas com modelos de negócios digitais, as quais oferecem serviços de alto valor agregado ao consumidor. 

Isto é, aqueles em que existem a convergência de inovações tecnológicas, potencializadas pela globalização. A nova economia substitui a fabricação manufatureira pelo fornecimento de serviços e produtos tecnológicos.

Esses modelos de negócio são desenvolvidos, principalmente, em ambientes com alta transparência e diversidade de ideias, em cadeias integradas pela tecnologia proprietária.

Essa mudança aconteceu durante e por causa da pandemia? Não! A nova economia já vinha se desenhando no país há algum tempo, porém, não dá para negar que a crise sanitária causou algumas modificações no mercado.

Neste contexto, a pandemia que estamos vivemos apenas acelerou um processo que já aconteceria uma hora ou outra. Com a nova economia, percebemos a presença cada vez mais evidente da tecnologia no mercado.

Além de que passamos a compartilhar a economia, em um modelo descentralizado e menos burocrático. 

A nova economia também incentiva a transformação digital e muda completamente a relação comercial entre empresas e seus consumidores – assim como as de empregados e empregadores.

O que nos leva à seguinte questão: o que esperar do mercado de trabalho dentro deste contexto de mudanças? Em especial, como empreender neste cenário de transformação digital e das relações?

Entenda.

Tendências de empreendedorismo de acordo com a nova economia

Fica evidente que uma das maiores mudanças do mercado é o empreendedorismo digital. Ainda percebemos que há empreendedores resistentes, que buscam, a qualquer custo, manter as coisas como eram – como os próprios dizem.

Eles têm diversos medos e até mesmo certos pré-conceitos instaurados na cabeça. No entanto, tentar lutar contra o mercado é um grande erro, o qual pode determinar o sucesso – ou a falta de sucesso – de uma organização.

Pode ser um salto irreversível! Outra mudança importante, agora sobre a relação entre pessoas e empresas, é que antigamente, o talento se dava por profissionais que tinham sobrenome, acesso, cultura e famílias com alto poder aquisitivo.

Além de terem formações em faculdades de primeira linha, as mais caras das cidades. Hoje, este complexo ecossistema empresarial está mudando depressa. As empresas devem buscar por aqueles que fazem a diferença.

Ou seja, pessoas com atitude em primeiro lugar, que são protagonistas de suas ideias e que tenham capacidade de atuar em diferentes frentes de trabalho, seja empreendendo, sendo parceiro de negócios de uma ou até de algumas organizações.

Então, se você precisa empreender, se tiver este perfil, tem grandes chances de conseguir ter o sucesso que almeja. 

Por outro lado, na hora de contratar colaboradores, é importante também manter este olhar inovador sobre os perfis e currículos. 

Saiba mais sobre essa mudança tão importante 

Com a nova economia o cenário tem mudado. As empresas vêm percebendo que contratar pessoas somente pelo perfil técnico não tem atendido às exigências do novo ecossistema. 

Mais do que a entrega, as empresas precisarão mudar seu modo de gerir gente. Os profissionais da nova economia serão atraídos pela capacidade da empresa de compartilhar projetos que tenham conexão com o propósito do colaborador, priorizando qualidade de vida, inclusão social e sustentabilidade.

Desta maneira, por exemplo, a formação em faculdade de primeira linha não passa a ser tão priorizada. Confiança, autonomia, liderança emocional e flexibilidade são as competências chaves para que o profissional prospere neste mundo tão mais complexo.

Por isso, uma das principais dicas da Trilha Carreira Interativa é que os empreendedores, assim como profissionais de todos os outros setores, invistam em autoconhecimento para desenvolver tais habilidades que, hoje, são as mais buscadas.

Quando nos conhecemos melhor, despertamos uma nova consciência de mundo, aumentamos nossa capacidade de empatia e lidamos com adversidades sem grandes problemas.

Conte com a Trilha Carreira para o desenvolvimento de carreira e autoconhecimento profissional, estamos dispostos a ajudar! Oferecemos programas de coaching, mentorias de carreiras e muito mais.

Este site utiliza cookies e tecnologias semelhantes a fim de melhorar a experiência do usuário e coletar dados de navegação. A navegação neste site implica concordância com nossa política de privacidade e política de cookies.

Estou ciente